I
  Adelaide Von Strauss
 

 

 

 - Olha eu aqui de novo. Estavam com saudades amiguinhas? Pois eu estava. Acostumei a me comunicar com vocês que não vejo a hora de atualizar minha coluninha. E já estou até fazendo fãs e conseguindo colaboradoras. Gostaria de começar a coluna de hoje mandando um forte abraço para as amigas Neide D. Aparecida, Izabel e Curiosa, que deixaram recados na página BOCA LIVRE elogiando meus comentários. Brigadinha, meninas, vocês são uns amores. Bom, chega de rasgação de seda e vamos lá:

 - Um certo senhor de nossa sociedade, que ocupa até um cargo importante na prefeitura dizem que está morrendo de medo de chegar alguém de São Domingos, distrito de Santa Margarida, e botar os podres dele pra fóra. Se espalhar o que este ex-namorado (?) de uma amiga minha de Manhuaçu andou fazendo por aí, a casa cai. Viu, menina, foi mexer com fogo...

 - Uma grande amiga minha está preocupada com uns pezinhos de galinha que estão aparecendo na cara dela... Falei pra coitada: se preocupa, não, meu bem, você sempre teve pernas de galinha. KKKK, entenderam?... Ela não, porque é loira!

 - Fiz uma lipo e mesmo assim continuo acima do peso. Não tô nem aí mais. A gente sofre demais pra fazer regime. Sou mais eu cheinha do que uma certa figura que fiquei conhecendo em uma festa: magérrima e elegante, mas burra e sem educação. Aí de que adianta tanta magreza? Vai fazer um "supretivu" meu bem...

 - Em um certo restaurante da cidade presenciei uma cena que fique pasma: uma certa dama da sociedade local entrou mancando no recinto. Fiquei até com pena e perguntei para minhas colegas de mesa se ela era deficiente. Para meu completo espanto elas responderam que não. A coitada estava usando um sapato novo que havia comprado pra ir a um certo casamento. Que isso gente?... O que custava ela tirar o sofrimento dos pés...Não deu outra, quando ela sentou, muito discretamente tirou as torturas dos pés e respirou aliviada. Será que não tinha o número dela na loja? Cada uma...

 - Chegou uma certa ex-amiga de amiga minha em um salão e falou para a pessoa dona do lugar: Quero um corte igual a esse aqui da Ana Paula Ardósia. A profissional respondeu muito fina: Olha meu bem, não é Ardósia, é Arózia, e se você quer um cabelo assim só se comprar uma peruca. Quase dei uma síncope de tanto rir do festival de besteirol.

 - Neste mesmo salão tinha uma certa dondoca tingindo os cabelos e quando entrei ela pediu para ir para outro compartimento, pois falou que não gostava de se apresentar feia em público. Coitada, está condenada a viver escondida...

 - Ô meu amor, não fique tão empolgada com a jóia que você ganhou. Fiquei sabendo com certeza que ela foi comprada no Shopping de camelô Oiapoque em B.H. Não passa de pura falsification barateition.

 - Queridinha, vai aqui mais um recadinho pra você: pára de ficar falando mal dos filhos dos outros. Você não conhece o que os seus "anjinhos" aprontam na noitada. Fica quietinha no seu canto que você lucra muito mais.

 - Menina, nunca vi tanta cafonice reunida em um mesmo lugar. Ô festinha brega que fui certo final de semana. As minhas amigas precisam se informar um pouco mais. Elas ainda estão no tempo da melissinha com meia arrastão. Credo!

 - Por falar em cafonice uma certa loira burra que tem por aí é a rainha... Mistura calça de tergal com blusa de paetê e ainda coloca anel de formatura junto com bijuteria de camelô. Só falta ela amarrar um lenço indiano no pescoço e colocar um pregador de borboletinha na cabeça. Ui, que meda! E ainda se acha a poderosa da cidade.

 - Depois desta, estou indo embora tomar o meu chazinho com torrada pra manter a lipo em dia. Beijinhos e tchau, tchau.

 

 

 

 

Jornal Boca do Povo - Direção João Rosendo - ADELAIDE VON STRAUSS - Copyright 2010 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Multimídia Informática