I
 

JORGE CAETANO DOS SANTOS

O PREFEITO EXEMPLO DE DEMOCRACIA

Hoje faz nove anos que o ex-prefeito faleceu - Um flash histórico para relembrar os atos de um grande homem

A HISTÓRIA NÃO NOS DEIXA MENTIR

Hoje, domingo, dia 15 de agosto de 2010, completam nove anos da morte do ex-prefeito de Manhumirim Jorge Caetano dos Santos.

Ele nasceu no dia 22 de março de 1930 e veio para Manhumirim em 1958 onde trabalhava no comércio de compra e venda de café.

Homem culto, festeiro, popular e amante das festas e principalmente do carnaval, era um prefeito que não gostava de ficar dentro do gabinete. Ia cedo para o almoxarifado onde distribuía as tarefas do dia e gostava de andar pela cidade colhendo opiniões da população a respeito de sua administração.

Jorge Caetano nunca deixou de atender ao povo e nunca teve receios de andar pelas ruas de Manhumirim ficando até altas horas na praça, bares e casas de amigos, dos mais simples até aos mais graduados da sociedade.

Gostava de uma sinuca e atendia muitos pedidos dos eleitores, ali mesmo nos bares e casas noturnas da cidade, onde freqüentava com sua esposa Dalvinha, mulher guerreira que sempre apoiou o marido em sua jornada política.

Os grandes carnavais de Manhumirim tinham o apoio do prefeito Jorge que nunca foi muito chegado a patrocinar qualquer tipo de evento que não trouxesse dinheiro para cidade. Segundo ele:

“- Festa tem é que trazer dinheiro para o município e não levar o dinheiro embora...”

O ex-prefeito faleceu no dia 15 de agosto de 2001 e sua família foi homenageada com um dos maiores enterros que a cidade já presenciou. O povo quis prestar sua última homenagem ao grande político que foi homem simples, desprendido de bens materiais e primou pela honestidade em seus dois mandatos.

PREFEITO POR DOIS MANDATOS

Jorge Caetano dos Santos foi prefeito em Manhumirim de 1971 a 1982 e de 1989 a 1992. Morreu deixando quatro filhos: Jorginho, Alan, Ivan, Geórgia e Carolina.

Hoje, sua esposa Dalva Caetano reside em Belo Horizonte com a filha Geórgia. Jorginho mora no Rio de Janeiro, Alan em Manhuaçu e em Manhumirim continua residindo Ivan Caetano que hoje trabalha como motorista da ambulância da prefeitura.

Filhos dignos, mulher de fibra, família que marcou a história de nossa cidade.


JORGE DEMOCRÁTICO DOS SANTOS


Um fato que jamais esquecerei e que marcou a minha vida foi uma visita que recebi de Jorge Caetano no último dia de mandato em um domingo, por volta das dez horas da manhã, no ano de 1992.

Eu publicava o JORNAL BOCA DO POVO e apresentava um programa na Rádio Manhumirim – MICROFONE ABERTO, e fazia muitas críticas à administração de Jorge.

Falava das ruas mal esburacadas, da falta de calçamento, da incompetência de alguns secretários e às vezes o clima esquentava com a participação ao vivo dos ouvintes por telefone.

O programa ia ao ar todas as segundas, quartas e sextas.

Aconteceu muitas vezes eu colocar um assunto em pauta no programa da segunda falando sobre a sujeira e mato no rio, no programa da quarta-feira o prefeito chegava de supetão no Studio da emissora e falava:

- “Olha João Rosendo, segunda-feira você criticou o estado que o rio se encontrava, hoje eu estou aqui pra te dizer que a turma da prefeitura começou ontem a limpeza do rio. Vim te agradecer por me lembrar de uma obrigação minha...”

Daí, esperto como era, usava um tempão no programa para divulgar sua administração.

É este o exemplo de um democrata. Homem do povo, voltado para as causas sociais.

Mesmo com todas as críticas que eu fazia da administração, e elogios também, Jorge Caetano nunca deixou de ser meu amigo e terminou sua carreira sendo candidato a prefeito pelo PP (Partido Progressista) sigla em que eu era o presidente.

Além de ser homem do povo, ele sempre respeitou a Câmara Municipal, tinha um bom relacionamento com todos os vereadores e nunca deixou de responder pessoalmente os requerimentos e indicações dos vereadores.

Na época em que eu fui presidente da Câmara, Jorge se mostrou um prefeito democrático e preocupado com o futuro de Manhumirim.

Mas, voltando à visita que mencionei no primeiro parágrafo, Jorge foi até a minha casa e chegou da seguinte forma: -

-"Oi João Rosendo, vim te fazer uma visita, meio prefeito e meio cidadão, porque a partir de segunda-feira não serei mais prefeito. Vou dar a posse ao Nico Franco. O motivo da minha visita aqui é te agradecer pela sua ajuda na minha administração. Mesmo sendo meu adversário, você  sempre fez grandes carnavais e grandes festas em Manhumirim, culminando agora com esse filme que passou um dia desses que você convidou o meu filho Alanzinho para participar. Vim tomar um café com você e te dizer que muito me ajudou com suas opiniões, enquanto muitos bajuladores que estavam ao meu lado nunca estiveram do meu lado. Você sim, elogiava quando necessário e me metia o malho quando precisava. Obrigado por ter me aberto os olhos pra muita coisa. O verdadeiro amigo é aquele que mostra os nossos erros e nos faz voltar para o caminho certo.”


Ao terminar suas palavras, deu uma abraço no meu pai, na minha mãe entrou no carro, com a voz meio embargada e foi embora...


Minha mãe se emocionou e meu pai ainda soltou esta expressão:

“- Este é o Jorge Caetano...”

Hoje estou relatando este fato para que todos tenham na memória o que foi o grande político Jorge Caetano dos Santos. Prefeito por dois mandatos, homem de grande influência com Tancredo Neves, Leopoldo Bacarini, Genésio Bernardino...

Homem do povo, simples, democrático, prefeito duas vezes e morreu pobre, mas deixou um legado de seguidores que ainda lutam com unhas e dentes pela democracia plena e por um futuro melhor para Manhumirim.


Saudades da era Jorge, saudades da era Nico, saudades, saudades, saudades...

 

Por João Rosendo em 15 de agosto de 2010

Jorge nunca foi homem de gabinete. Despachava e resolvia muitas coisas no almoxarifado e gostava de andar pela cidade para colher opinião do povo sobre sua adminsitração.

Jorge e os filhos Alan, Ivan e Geórgia

A guerreira Dalva Caetano e o primogênito Alan Caetano

Jorge e Dalva no casamento da Miss Brasil Marisa Fully Coêlho

Ivan Caetano, Alan Caetano e as esposas Tamirys e Flavinha

Ivan Caetano e o filho Gustavo

Carolina, a filha mais jovem de Jorge e Dalva

Dalva e a filha Carolina

Geórgia Caetano

Dalva e Jorginho Caetano

Jorginho e a esposa Claudinha

Davinha Caetano

Jorge Caetano e o produtor cultural Lauro Célio da Silva

Jorge Caetano dos Santos - prefeito de Manhumirim de 1977 a 1982 e de 1989 a 1992

Jorge Caetano, Tereza Ursini, a esposa de Jorge Dalva Celeste Caetano dos Santos e o governador do Estado de Minas Gerais, e depois presidente do Brasil Tancredo de Almeida Neves

Deputado Federal Dr. Genésio Bernardino de Souza, o Presidente da Reública Dr. Tancredo Neves e o prefeito de Manhumirim Jorge Caetano dos Santos.

O Presidente da Câmara de Manhumirim João Rosendo e a mesa diretora da casa na promulgação da Lei Orgânica Municipal. Jorge sempre apoiou e respeitou a imprensa e os vereadores.

Momento solene quando o prefeito Jorge Caetano promulga a Lei Orgânica de Manhumirim

Jorge e a Estrela Dalva, figuras marcantes do carnaval de Manhumirim. O prefeito e a Primeira Dama andavam pelas ruas, conviviam com o povo e ainda saíam no carnaval.

Jorge sempre apoiou o carnaval de escolas de samba da cidade

Na era Jorge e Nico Manhumirim era destaque em todos os jornais do estado. E olha que não era matéria paga, a cidade brilhava mesmo.

Jorginho Caetano e Marisa Fully no carnaval de Manhumirim

Jorge e Dalva: momentos em família

Flavinha e o esposo Alan Caetano

 

As irmãs Carolina e Geórgia Caetano

Geórgia Caetano

Flavinha e Alan, Tamirys e Ivan Caetano

Ivan, Tamirys e Geórgia Caetano

FRASES DE JORGE CAETANO DOS SANTOS:

Cumprir os seus negócios no dia certo, seja com quem for, e se não puder pagar, procurar entendimento com honestidade…

Não dê seu nome em troca de dinheiro, ele é muito bom, só se for ganho honestamente…

Guarde o velho ditado: o pai rouba, o filho come e o neto morre de fome…''

O tempo é o melhor conselheiro...

O prefeito é para quatro anos a cidade é pro resto da vida...

O puxa-saco não te fala a verdade, só quer te agradar para conseguir proveito próprio.

Quem entra na política pensando em se enriquecer não é digno do seu voto.

Falem bem ou falem mal, mas falem de mim...

"O homem honesto não tem inveja de ninguém."

 

FOTOS: ARQUIVO JOÃO ROSENDO E FAMÍLIA CAETANO - frases extraídas do Programa Microfone Aberto de 1990

Jornal Boca do Povo de Manhumirim - DIREÃO JOÃO ROSENDO - Copyright 2010 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Multimídia Informática