BOCA DO POVO - MANHUMIRIM - Jornal Boca do Povo - Direção João Rosendo - Órgão Independente de Comunicação Popular - jornalbocadopvo.com - TREM CULTURAL DO CAFÉ - Texto do Jornalista João Rosendo
     
 
               
I
 

TREM CULTURAL DO CAFÉ

Agora só falta a prefeita assinar...

 

O PREFEITO PASSADO NÃO QUERIA DESENVOLVER O TURISMO EM MANHUMIRIM, AGORA SÓ FALTA A PREFEITA ASSINAR O PEDIDO PARA O PROJETO VIRAR REALIDADE...

 

A ONG Viverdear, Manhumirim, esteve  empenhada num projeto audacioso, mas que a cada dia tem recebido apoio e dado passos concretos para sua realização. Trata-se do Projeto TREM CULTURAL DO CAFÉ.

Vários contatos foram feitos, projetos enviados com todo levantamento técnico e inclusive, o pedido de cessão de bens da rede ferroviária (dormentes, trilhos, máquina a vapor e dois vagões para passageiros).

O projeto, apenas sonho de outrora, começa agora a demonstrar sua importânica para incremento turístico na região e como foi criado um programa específico do Governo Federal para destinar patrimônios da extinta Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima - RFFSA, a ONG tem uma grande chance de conseguir realizar esse grande sonho.

A população das cidades Manhumirim e Alto Jequitibá deve manifestar seu apoio ao projeto, demonstrando assim, que além da viabilidade técnica e potencial turístico há também um querer dos moradores.

O PROJETO TREM CULTURAL DO CAFÉ

Trem Cultural do Café é um projeto de incremento das atividades turísticas do Circuito do Caparaó, que visa a reintroduzir estrada de ferro com locomotivas e vagões de passeio em trecho de 9 km entre as cidades de Manhumirim e Alto Jequitibá.

 A viabilidade do empreendimento baseia-se no "Programa de Destinação do Patrimônio de Extinta RFFSA para Apoio ao Desenvolvimento Local" recém-lançado pela Secretaria de Patrimônio da União - SPU, na vocação e potencial favoráveis e, principalmente, na motivação das populações e autoridades dos dois municípios contemplados e realizadores da obra.

O projeto prevê a circulação de uma locomotiva, alguns vagões de passageiros sobre trilhos de ferro e dormentes restaurados depois de quase quarenta anos. Uma estação em Manhumirim e outra em Alto Jequitibá.

E o itinerário fazendo as mesmas curvas de antigamente entre a margem direita do rio Jequitibá e o sopé das montanhas, em meio a paisagens de matas, lavouras e fazendas. Será assim o Trem Cultural do Café, levando gente saudosa de outros tempos e jovens que nunca antes embarcaram num trem.

Turistas de perto e de longe que já freqüentam pontos como o Parque Nacional do Caparaó, Parque do Sagüi e rio Claro, Igreja Matriz do Bom Jesus e outras obras do Pe. Júlio Maria em Manhumirim e Reverendo Cícero Ciqueira em Alto Jequitibá vão ter mais uma atração onde se divertir e reviver a história econômica e social da região.

Os moradores e cerca de 35 mil visitantes anuais do Circuito vão ganhar muito com essa restauração. O Trem do Forró no Nordeste e outros empreendimentos similares Brasil afora são inspiradores do quanto vai ser positivo ter em Manhumirim e Alto Jequitibá o Trem Cultural do Café.

O leito da antiga estrada de ferro e outros bens que pertenciam à extinta Rede Ferroviária Nacional S/A - RFFESA, como patrimônios da União, com o "Programa de Destinação do Patrimônio de Extinta RFFSA para Apoio ao Desenvolvimento Local" passam agora a ser cedidos aos municípios e a entidades particulares sem fins lucrativos de onde se encontram para fins de desenvolvimento social, urbano e ambiental mediante certos critérios de concessão, regularização e gestão.

Critérios aos quais a situação do imóvel, assim como os requisitos da ONG Viverdear e das prefeituras de Manhumirim e Alto Jequitibá têm plenas condições de satisfazer, incluindo o primeiro deles: o leito da antiga estrada de ferro nesse trecho se encontra sem modificações e totalmente desobstruído e desimpedidos de construções ou quaisquer outros obstáculos. São também conhecidos os caminhos para se conseguir, em sistema de comodato,  os trilhos usados e dormentes, assim como a máquina e os vagões.  

Considerados os três pontos abordados acima:

1. a vocação natural das duas cidades para o turismo histórico e ecológico como opção para a diversificação de suas atividades econômicas;

2. a oportunidade de todas as condições favoráveis para restaurar o trecho de estrada de ferro e com ele incrementar enormemente as atrações turísticas locais; e

3. a disposição e empenho com que população, autoridades e sociedade civil organizada desejam e levam a cabo este projeto, o Trem Cultural do Café será em breve uma feliz realidade para Manhumirim, Alto Jequitibá e toda a região.

 

 

 

 

 

Em vários municípios o projeto é sucesso e atrai turistas para as cidades participantes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Márcio José Guimarães da ONG VIVERDEAR, Daniel Sathler prefeito de Alto Jequitibá, Paulo Hinrique - Presidente da OSCIP AMIGOS DO TREM e Darci Braga prefeita de Manhumirim.

 

AGORA SERÁ QUE VAI?

Segundo alguns membros da ONG VIVERDEAR, depois que o prefeito passado TRAVOU o projeto, por não haver interesse dele em desenvolver o turismo em nossa cidade, agora está tudo certo, dependendo apenas da prefeita Darci Braga assinar o ofício solicitando os bens para a construção dos trilhos.

Não haverá nenhum custo para o município, pois os materiais destinados para o percurso SERÃO DOADOS pela Rede Ferroviária, inclusive a locomotiva a vapor e dois carros de passageiros, como comprova o ofício número 106 do ano de 2013, expedido pelo DNIT, recebido no dia 04 de março do corrente ano (2013).

Vamos torcer para que tudo dê certo e nossa terra não perca mais um obra cultural e popular em detrimento de benefícos para particulares...

Tem algumas pessoas, uma meia dúzia de desinformados que estão tecendo alguns comentários que não procedem.

Em primeiro lugar, se Manhumirim perder esse benefício, inclusive com verbas EXCLUVIVAMENTE destinadas para tal fim, outra cidade vai levar.

Segundo lugar, na rubrica orçamentária cada verba é destinada para um fim, e dinheiro de cultura e turismo não tem nada a ver com saúde, remédio ou casa popular.

Em terceiro lugar, a viabilização do projeto vai beneficiar muita gente que tem terreno às margens da ferrovia, caso contrário, não saindo o TREM CULTURAL DO CAFÉ, a União vai é desapropriar quem se apossou da área e o local ficará ocioso.

Sendo administrado pela ONG VIVERDEAR, que é de nossa terra, ainda poderá haver um acordo, caso contrário, o ato será diferente.

Vamos aguardar a reunião que vai acontecer no dia 04 de abril na Secretaria de Patrimônio, tomara que tudo dê certo...

 

A reunião do dia 04 de abril na Secretaria de Patrimôno será decisiva para o projeto TREM CULTURAL DO CAFÉ. Vamos aguardar...

 

VEJA O OFÍCIO ABAIXO

DNIT

Ofício nº 106/2013/DIF/DNIT

Brasília, 04 de março de 2013

Ao Grupo VIVERDEAR do Município de Manhumirim

Rua João Batista Felipe, 25

Cidade Jardim -CEP 36.970.000

Manhumirim - Minas Gerais

Assunto: Cessão de Uso de Bens Móveis/Projeto Trem Cultural do Café

Ref. : Processo nº 50600.008652/2009-48

1- O Grupo Viverdear do Município de Manhumirim demonstrou interesse no Ofício, com data de 23 de julho de 2009, na cessão de uso de:

- dez quilômetros de trilhos TR37 ou 45, com material para fixação;

- uma LOCOMOTIVA a vapor e 02 carros de passageiros ou 02 LOCOMOTIVAS a diesel (sendo 01 carcaça e outra para recuperação) ou 01 litorina que se encontra no pátio da cidade de Juiz de Fora.

2 - Solicitamos a gentileza de informar ainda se há interesse desse Grupo na cessão de uso é destinada ao PROJETO TREM CULTURAL DO CAFÉ.

3 - Em caso afirmativo, inicialmente, elucidar quanto à área onde o Projeto Trem Cultural do Café será instalado, ou seja, esclarecer quanto às dúvidas suscitadas no tocante à INVASÃO da propriedade pretendida e à sua disponibilidade ao Grupo Viverdear ; bem como toda documentação atinente à cessão de uso do bem imóvel, abrangendo a totalidade da extensão almejada.

4 - Em ato contínuo, favor remeter junto à resposta formal:

- projeto detalhado do produto turístico ferroviário sob análise ;

- cópias das identidades e do CPF dos dirigentes da entidade ;

- documentos de nomeação dos Dirigentes ;

- número do CNPJ e endereço da entidade ;

- documentação idêntica de órgão municipal que eventualmente seja cessionário em parceria com o Grupo Viverdear.

Atenciosamente,

 

Mário Dirani

DIRETOR DE INFRAESTRUTURA FERROVIÁRIA

O esperado OFÍCIO DO DENIT chegou... Agora só falta a prefeita de Manhumirim assinar, pois o prefeito Daniel Sathler de Alto Jequitibá já deu seu aval

No trajeto do TREM CULTURAL DO CAFÉ estão as obras de Padre Júlio Maria de Lombaerde de Manhumirim e Reverendo Cícero Siqueira de Alto Jequitibá - (esculturas do artista plástico João Rosendo)

 

VEJA ABAIXO O VÍDEO DA MATÉRIA FEITA PELO JORNALISTA MANHUMIRIENSE CARLOS ALBUQUERQUE - TV RECORD MINAS

 

 

 

 

Jornal Boca do Povo - MANHUMIRIM - Direção João Rosendo - Copyright 2010 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Multimídia Informática