Notícias
 

 

 
 
             
I
Noticias
 

FEBRE AMARELA NA NOSSA REGIÃO: A VERDADE QUE O POVO TEM O DIREITO DE SABER

O CASO É SÉRIO E NOSSA CIDADE CORRE RISCO SIM - A VACINAÇÃO É O CAMINHO

A Vigilância Ambiental, da Secretaria de Saúde de Manhuaçu, confirmou que foram encontrados cinco macacos mortos na zona rural do município nesta sexta-feira e sábado, 14/01.

Segundo a coordenadora de Vigilância Ambiental, Emilce Estanislau, um animal foi localizado em Palmeirinhas e outro na cabeceira de Manhuaçuzinho (área de São Sebastião do Sacramento) na sexta-feira. Neste sábado, outros dois foram encontrados no Barreiro e o quinto na Roça Grande.

As medidas necessárias quanto à preservação do local onde estão os animais foram tomadas pelo setor de Vigilância Ambiental do município.

Como determinam as normas estabelecidas para estes casos, a Secretaria Municipal fez a notificação oficial à Secretaria de Estado de Saúde (SES) para que a mesma faça o recolhimento de material necessário para saber se a morte dos macacos tem relação ou não com a febre amarela silvestre.

Diversas outras ligações sobre macacos mortos foram enviadas à Vigilância Ambiental, investigadas e não foram localizados animais. O que se tem até o momento são os cinco registros. É importante não acreditar em boatos espalhados em redes sociais e grupos de whatsapp.

PROCEDIMENTOS

Caso encontre um macaco morto, é importante que a Secretaria de Saúde de seu município seja comunicada imediatamente para iniciar uma investigação das causas da morte.

Não é recomendado tentar remover o animal para levá-lo até uma unidade de saúde ou outro local, por exemplo. Preserve o local e acione os responsáveis pela saúde de seu município o mais rápido possível.

Várias matérias na Rede Globo de Televisão, Jornais O TEMPO, ESTADO DE MINAS, dentre outros citam o nome de Manhumirim, não só porque a GRS ( Gerência Regional de Saúde) tem sede em nossa cidade, mas pelo risco que o município corre também

Governador Pimentel em reunião com secretários Odair Cunha (Governo) e Nalton Moreira (Saúde) para discutir medidas de combate ao surto de febre amarela (Manoel Marques/MG) "Não há motivo de alarde, mas todos devem se vacinar''

Durante o seminário em Caratinga era aguardada a participação do Governador Fernando Pimentel que teve que cancelar a ida ao evento, pois o avião em que estava não pode pousar devido ao mau tempo.

Foi divulgado que governo de Minas Gerais havia decretado situação de emergência em saúde pública por 180 dias nas áreas do estado onde há surto de febre amarela. O decreto contempla 152 cidades no entorno de Coronel Fabriciano, Governador Valadares, na Região Leste, Manhumirim (sede da Gerência Regional de Saúde da qual Manhuaçu faz parte), na Zona da Mata, e Teófilo Otoni, no Vale do Jequitinhonha e Mucuri.

O decreto autoriza a adoção de medidas administrativas necessárias à contenção do surto, em especial a aquisição de insumos, materiais e a contratação de serviços estritamente necessários ao atendimento da situação emergencial. Fica admitida também a contratação de pessoal para ajudar no combate à doença e autorizada a criação de um comitê para monitoramento dos casos e prevenção, que recebe o nome de Sala de Situação. Durante a validade da situação de emergência, poderá haver dispensa de licitação.

Durante o seminário em Caratinga era aguardada a participação do Governador Fernando Pimentel que teve que cancelar a ida ao evento, pois o avião em que estava não pode pousar devido ao mau tempo.

Foi divulgado que governo de Minas Gerais havia decretado situação de emergência em saúde pública por 180 dias nas áreas do estado onde há surto de febre amarela. O decreto contempla 152 cidades no entorno de Coronel Fabriciano, Governador Valadares, na Região Leste, Manhumirim (sede da Gerência Regional de Saúde da qual Manhuaçu faz parte), na Zona da Mata, e Teófilo Otoni, no Vale do Jequitinhonha e Mucuri.

O decreto autoriza a adoção de medidas administrativas necessárias à contenção do surto, em especial a aquisição de insumos, materiais e a contratação de serviços estritamente necessários ao atendimento da situação emergencial. Fica admitida também a contratação de pessoal para ajudar no combate à doença e autorizada a criação de um comitê para monitoramento dos casos e prevenção, que recebe o nome de Sala de Situação. Durante a validade da situação de emergência, poderá haver dispensa de licitação.

 

Com informações de Portal Caparaó (Carlos Henrique Cruz), ADESC, Luiz Nascimento / Manhuaçu News, Site G-1 e Ministério da Sáude

TV BAND REDE NACIONAL

REDE RECORD

 

 

NÃO HÁ MOTIVO PARA PÂNICO, MAS O MOMENTO É DE ATENÇÃO E VACINAÇÃO

Apesar de algumas pessoas não estarem levando a sério o caso, precisamos e temos o dever de ALERTAR a população de Manhumirim quanto aos riscos que nossa cidade corre.

Estamos em uma região de alerta SIM, e não sabemos por que ainda não teve início uma campanha de esclarecimento ao povo, com carros de som na rua, panfletos e outros tipos de mídia INCENTIVANO O POVO SOBRE A IMPORTÂNCIA DA VACINA.

Em Manhuaçu, Simonésia e outras cidades vizinhas foram encontrados macacos mortos, portanto, corremos risco SIM.

Em Ibatiba, chegou a 34 , em Irupi, foram dez registros no estado do Espírito Santo, vizinho de Minas Gerais.

Temos o DEVER de alertar a todos para procurar o postinho mais próximo ou policlínica e EXIGIR a vacinação, ou vamos esperar registrar óbitos para depois começarmos uma campanha séria e em benefício da saúde dos manhumirienses.

Não foi registrado nenhum caso em Manhumirim, e Deus permita que não seja, mas estamos em uma área de RISCO e devemos iformar a população sobre a seriedade do problema.

Todos vacinando JÁ.

Em Manhumirim não foi registrado nenhum caso de febre amarela, mas corremos RISCO sim. Todos tem que vacinar, a prevenção é o melhor remédio.

Até o momento, existem 20 casos prováveis, sendo 10 óbitos prováveis. No total, são 110 casos suspeitos notificados e 30 mortes suspeitas da doença em 21 municípios, que já fazem parte da área de recomendação para vacinação, assim como o resto do estado.

O vírus se mantém naturalmente em um ciclo silvestre de transmissão, que envolve primatas não humanos (hospedeiros animais) e mosquitos silvestres. O Ministério da Saúde realiza a vigilância de epizootias desde 1999 com objetivo de verificar e antecipar a ocorrência da doença.

Assim é possível fazer a intervenção oportuna para evitar casos humanos, por meio da vacinação das pessoas e também evitar a urbanização da doença por meio do controle de vetores nas cidades.

O macaco, principal hospedeiro e vítima da doença, funciona como sentinela, indicando que o vírus está circulando em determinada região.

O Ministério da Saúde  declarou que o país tem estoque suficiente de vacina contra a febre amarela para atender toda a população nas situações recomendadas. E que, nesta semana, enviou a Minas Gerais mais 735 mil doses pra reforçar o estoque do estado.

(Fonte: Ministério da Saúde)

 

Maria dos Anjos, de 58 anos, moradora da zona rural de Ladainha, chora a morte do filho, Gilson, de 38, ao lado da filha Rêuzia: 'É preciso vacinar', adverte (foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)

A vacina assegura 100% de imunização após o décimo dia de aplicação. A partir do decreto, fica autorizada a adoção de medidas administrativas para contenção do surto, como aquisição de insumos e materiais e constratação de serviços necessários ao atendimento da situação de emergência.

TV CANÇÃO NOVA REDE NACIONAL

REDE MINAS DE TELEVISÃO

 

Jornal Boca do Povo - DIREÇÃO JOÃO ROSENDO - Copyright 2010 - Todos os direitos reservados