Notícias
 

 

 
 
             
I
Noticias
 

REUNIÃO POLÊMICA NA CÂMARA: AMEAÇAS CONTRA O PLENÁRIO, BATE-BOCA. VEREADOR DALBINO PEDE VISTAS DO PROJETO E OS SERVIDORES CONTINUAM SEM RECEBER

Aconteceu na noite de segunda-feira, dia 08 de dezembro de 2014, a reunião extraordinária da Câmara Municipal de Manhumirim que teve como pauta o Projeto de Suplementação de Receita enviado pelo Poder Executivo Municipal.

Em Nota Oficial a prefeita disse que o dinheiro para pagar os servidores se encontra depositado só esperando a aprovação do projeto para pagar os servidores e acusa alguns vereadores de estar fazendo um tipo de boicote contra a administração seguindo instruções de políticos de oposição que perderam o poder e manipulam alguns vereadores.

Já os vereadores se defendem alegando que a prefeitura vinculou o salário dos servidores à outras despesas, por isso não irão aprovar o projeto do jeito que está e querem votar apenas no montante que se refere ao pagamento dos funcionários.

A curta e polêmica reunião terminou rápidamente, pois o vereador Dalbino Cler do PT pediu vistas do projeto,seguindo o mesmo que fez a vereadora Ana Paula Bastos Destro do PT também na outra reunião, ficando a próxima marcada para a sexta-feira (dia 12 de dezembro de 2014)

 

Segundo o vereador Dalbino Cler -" Estamos fazendo nosso papel de ficalizadores e não vamos votar do jeito que a prefeitura quer. Se chegar apenas o valor da folha de pagamento voto amanhã mesmo, pois não tenho nada detalhado nas minhas mãos ", momento em que o vereador Dalbino foi vaiado por servidores presentes à reunião.

O vereador Ivan Caetano argumentou o seguinte: -" Isso é uma covardia com o servidor público. Vocês estão fazendo política contra a administração e prejudicando os servidores públicos. O vereador Dalbino tem em mãos sim todas as despesas detalhadas para a suplementação. Isso é um absurdo prejudicar o servidor público atrasando ainda mais o pagamento deles ".

Quando o vereador Dabino Cler do PT pediu vistas do projeto o clima esquentou no plenário da câmara e alguns servidores presentes começaram a vaiar os vereadores.

O vereador João Batista Vieira do PROS entrou em defesa do vereador Dalbino e ameaçou os servidores presentes dizendo que eles poderiam sair presos do prédio da câmara.

Sebastião Tristão argumentou com o vereador Dalbino Cler, que os documentos e relação do que tem que ser pago, já se encontram nas mãos de todos os vereadores, portanto não havia motivos para ele pedir vistas atrasando mais uma vez o pagamento dos servidores.

O presidente da casa Dário Veiga do PTB falou que o vereador é inviolável em seus direitos e disse palavras em defesa dos vereadores e do Regimento Interno.

No final, ficou mesmo decidido que o projeto será votado na próxima sexta-feira.

O sindicato dos servidores públicos municipais protocolou um comunicado na Prefeitura e enviou cópia para a câmara, que seguindo o prazo legal, os servidores irão fazer uma paralização.

Bom que agora os vereadores estão usando da função de fiscalizar, pois no mandato passado o prefeito fez várias suplementações, não mandava a prestação de contas e nem folhas de pagamento para a câmara e quando os vereadores Jésus Aguiar e Márcio Vovô pediam, e os demais vereadores, alguns reeleitos, ficavam quietinhos no seu canto.

É só acessar o link NOTÍCIAS deste site que você vai recordar de várias matérias e até processos que o presidente da câmara na época, hoje vice-prefeito Jésus Aguiar, os ex-vereadoeres Júlio Horst e Márcio Bitencourt e Sebastião Tristão entraram contra o prefeito passado.

Tanto é que por causa de suplementação de receita, o mesmo caso polêmico de agora, o ex-prefeito do PT teve suas contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais.

Vereador tem que FISCALIZAR mesmo, não interessa quem esteja no poder, pois o povo observa isso, e não tem ninguém mais bobo, como pensam alguns por aí.

Mas, o servidor público, a maioria assalariados, não pode ficar no chumbo cruzado de brigas políticas, interesses pessoais já pensando em presidêcia da câmara para ser moeda de troca na votação de situações futuras.

Somente quem vive de salário sabe o que é um atraso de um dois dias...

 

O vereador João Batista Vieira do PROS ameaçou chamar a polícia para os servidores que vaiaram o vereador Dalbino Cler do PT, que pediu vistas ao projeto, atrasando ainda mais a votação

 

O Presidente da Câmara Dário Veiga do PTB defendeu o direito dos vereadores se manisfestarem e repudiou as manifestações do plenário

 

 

Nota Oficial publicada pela Prefeitura

Nota Oficial publicada pela Câmara Municipal

O vereador Dalbino Cler do PT pediu vistas do projeto e foi vaiado pelos servidores presentes à reunião

O vereador Sebastião Tristão do PSDB disse que não havia motivos para o vereador Dalbino Cler pedir vistas, pois todas as informações que ele queria, já estavam nas mãos dele

 

 

Publicado em 08 de dezembro de 2014

 

Jornal Boca do Povo - DIREÇÃO JOÃO ROSENDO - Copyright 2010 - Todos os direitos reservados